quarta-feira, abril 01, 2009

A Beleza da Tempestade (Ale - 30/03/2009)


Sob um olhar de aparente espanto
Percebo o som que emitiu o tempo
E nas nuances do meu pensamento
Toda a magia que há no encanto

E pelas águas desse firmamento
O azul dá espaço a tons de cinza e branco
A paz de Deus se forma em acalanto
Nas entrelinhas do meu sentimento

Cada palavra se unia ao vento
Trazia o som em forma de canção
E a batida do meu coração
Mais parecia a de um instrumento

E pela força em movimentação
e a natureza toda em movimento
percebo o eterno aprimoramento
quando a luz muda o ângulo da visão

entre os acordes do compasso certo
A natureza é quem diz o tom
Basta seguir de coração aberto
A arte, a vida, a luz, a cor e o som

9 comentários:

Aline Lima disse...

É bem verdade: "A Natureza é quem diz o tom". (:

R. Sant'Anna disse...

Lindo.
Impressionante como consegue sentir toda a beleza de coisas muitas vezes esqucidas.

Grande abraço

Questão Fundamental disse...

A explosão, o inverso do universo.

Ale (mestressan) disse...

Sabemos disso, né Aline?

Ale (mestressan) disse...

Minha nobre amiga Raissa...a beleza me movimenta!

Ale (mestressan) disse...

Júlio, deve ser lá o lugar aonde mora a origem da beleza!

yulunga disse...

Parabéns pela publicação do livro.
Beijinhos

Branca disse...

Seguindo de coração aberto não erramos...

Lindo poema!

R. Sant'Anna disse...

Amigo poeta
Poeta amigo!
Saudades imensas!
Como estais?
Eu estou muito bem, satisfeita com meu curso universitário ^^
Continuo com o blog como posso...
Jamais deixarei essa atmosfera fantastica e bela.

Grande abraço!