terça-feira, novembro 24, 2009

A Pedra (Ale- 24/11/2009)


Digo que sou pedra
Daquela meio cinza
Despercebida

Rotulo-me simples
Sem muitas cores vivas

O sol da tarde
Esquenta-me a face
Meio esburacada

E o frio me toca a alma
Nas noites meio geladas

Digo que sou pedra
Daquela toda embrutecida
Não resplandeço a luz
Em formas coloridas

Não agrado olhares
Nem dos mais simples
Nem da nobreza

Não adorno colares
Nem jóias belas da realeza

Apenas pedra
Daquela bruta
Sem mais nenhuma nomenclatura

Não sou diamante
Nem sou brilhante
Nem pedra rara de formosura

Apenas pedra
Em meio ao pó
De uma estrada

Entre a poeira
Entre outras coisas
Petrificadas

Apenas digo
Apenas Pedra
de pouca significância

Mas que talvez
Em minha essência
Haja um princípio de importância

11 comentários:

Anônimo disse...

Bonita poesia!!
Pedro Campos.

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

Ale (mestressan) disse...

Grato Pedro!

Ale (mestressan) disse...

Olá..continuarei escrevendo sim. Grato por seus comentários. Volte sempre

A Loba disse...

Encanto dos encantos amei...bjs

A Loba disse...

Encantos dos encantos , amei bjsssss...

Clararipe disse...

Muuito bom Ale!!!
Fazia tempo que não visitava teu blog e gostei muito desse poema!
Bj

Alessandro Jucá disse...

Valeu loba! Volte sempre

Alessandro Jucá disse...

Legal Clá! Bjo

Mel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.