quinta-feira, março 16, 2006

Espelho (Ale - 16/03/2006)


Procuro chaves
Teias me entrelaçam

Onde estou?
Respiro pó e expiro medo
Cercado de mim, apenas.

Infinitas sensações
A música ecoa
uma mesma nota trêmula e triste
Distante e longa

Vozes?
Não, lembranças delas.

Apalpo as paredes da alma
Arranho as palmas
Caminho lento

Procuro portas
Dimensões estranhas aqui dentro

Uma gota de luz escorre pela fresta
Derrama por sobre meus olhos atentos

Invade um vento suave
Porém ligeiro.
Limpando sonhos

Enfim...
Encontro você
Bem mais que isso
Encontro a mim


5 comentários:

Claudia disse...

O que posso dizer!
É simplesmente belo este poema. Percebe-se bem claramente uma tristeza/melancolia nele, porém acaba com uma pontada de esperança. E a vida segue...
Adorei este bem como todos os demais poemas. Vc é um poeta e tanto.
Beijos

Ale (mestressan) disse...

Puxa! Fico feliz por gostar, Cláudia. Um Beijo

O Micróbio II disse...

Atenção que o Micróbio mora numa casa nova... http//o-microbioii.blogspot.com

אiℓcέia disse...

Maravilhoso esse poema, aliás todos são belissímos, vc tá de parabés!
O Blog é lindo super organizado, adorei.
Bjus.

Ale (mestressan) disse...

Newceia, sinto-me honrado por seu comentário e espero poder manter a beleza em minhas palavras para que proporcione prazer a quem ler! Um beijo