segunda-feira, maio 12, 2008

Alma de Fada (Ale - 12/05/2008)


Nem se quer sonhei por detrás do espelho
E mesmo assim a minha alma reluzia
A tua luz de fada

Nem ao menos cantei os mantras naturais
Que te invocam
No comecinho de uma tarde mansa

Eis que te faz presente
como um poderoso encantamento

chega como o raio do sol
e penetra no pulsar
das minhas veias frágeis

e o meu coração te sente
como o oceano sente a praia
quando toca

e como as notas
são sentidas pelas cordas
que ressoam teu amor

e o meu amor
vira canção

e como um ciclo
de um sonho infinito

tu te transformas
na incomparável beleza
da mais fina e nobre canção

do coração da natureza

6 comentários:

Isis Brandão disse...

Oi, Ale! Estava mesmo com saudade de sua poesia...
Foi este o melhor presente do meu dia!
Nós moramos mesmo um dentro do outro...
Um raio de sol iluminando aos poucos...
Tb te chamo, tb te sinto e tb te amo...

Ale (mestressan) disse...

Que bom bb. Fico feliz por nós. Te amo tb. Bjo

Pó & Teias disse...

olá, Jucá!

belo poema! Vou roubá-lo! rsrsr Pro poeteias!
Qualquer reclamação digue!!!

Ale (mestressan) disse...

Roube-o a vontade amigo! Você é um ladrão autorizado. Se estive ao lado de Jesus na cruz, seria o Bom ladrão!

~*Raíssa Sant'Anna*~ disse...

Olá querido.
Belissimo poema!

Grande beijo

~*Rebeca*~ disse...

Ah conterrâneo, como você escreve com o coração.

"chega como o raio do sol
e penetra no pulsar
das minhas veias frágeis"

Que coisa mais linda!

Beijo grande.

-