quinta-feira, julho 15, 2010

Sendo (Ale - 15/07/2010)



Eu fico pensando em filosofia

na força do dia

sob a luz solar


no que me remete

a um sofrimento

no choro e lamento

que ronda meu peito


e a monotonia

do que é perfeito

de tudo que invento

me lança ao mar


As ondas incertas

em águas abertas

me arrancam do porto


e arte contida

no fundo da alma

outrora tão calma

emerge do nada


e a vida repleta

de águas paradas

começam tão logo

a movimentar


e os sonhos que eu tinha

explodem de dentro

mostrando que há vida

no que estava morto


e assim passo o dia

em meus pensamentos

tão leves e claros

tão livres e soltos


leveza de um som

em uma sinfonia

clareza da noite

com lua de prata


liberto tal qual

a bandeira da França

expõe em palavras

de ideologia


solto como o vento

mostrando sua dança

e os rios que correm

por dentro das matas


...e o simples sereno

das minhas ideias

fazem tempestades

no mar da poesia

5 comentários:

jefhcardoso disse...

Que suas idéias sejam sempre tempestuosas.
Jefhcardoso do
http://jefhcardoso.blogspot.com

Mel disse...

Que sua idéias sejam sempre tempestuosas.(2)
E Deus nos livre da apatia!

Vlinder disse...

Adorei, um poema magnifico.
tem mesmo que se lutar pela vida :D
Passa no meu se quiseres
Beijinho

Cicero Super disse...

O mar da Poesia,
Com navegantes,
Mesmo com tempestuosa
Honrosas Tempestades,
Mesmo com ventos
Cortantes e ruivantes
Os poetas com
Seus frágeis
Barcos de papeis...
Navegar por
Esse vasto oceano...
Esse ultima
São autênticos
Navegadores em silencio
Com o peito e coração cheio
De sentimentos prontos
Para relatar...
(ela estará no próximo cais) 05-09-2010

Nanquim disse...

Que suas idéias, como você, façam bons caminhos.