terça-feira, agosto 02, 2005

Tudo Normal (Ale 01/08/05)


Como se não bastasse
Caí no sono
Perdi a luta
Fugi de tudo
E do abandono

Como se não bastasse
Olhei pra frente
Andei de novo
Tirei meu luto
Plantei a semente

Como se não bastasse
Abri a porta
Enxuguei meu pranto
Corri pro mar
O que nem me importa

Como se não bastasse
Tudo de novo
Dormi parado
Sentei na pedra
Deixei meu povo

Como se não bastasse
Voltei de lá
Saí discreto
Pensei em tudo
Fiquei por cá

Como se não bastasse
Olhei bem alto
Joguei meu ser
Cantei poesia
Em meu próprio palco

Como se não bastasse
Caminho igual
Meu sempre amor
Flor e perfume
Tudo normal

...e como se mesmo assim,
tudo isso não bastasse,
bastou pra mim.
Mudei a face
Sorri por dentro

Do meu contraste

4 comentários:

O Micróbio disse...

E como se não bastasse, voltaste a escrver bem... :-)

andorinha disse...

Ale, há quanto tempo, amigo.
Andas fugido...
Lindo, o poema.
Domingo vou de férias, mas depois volto a visitar-te.
Estás sempre no meu coração!
Beijinho.:)

Ale (mestressan) disse...

Amigo Carlos, é uma honra ter sempre sua presença em meu blog, embora no momento eu esteja sem poder lhe retribuir as visitas, espero logo estar com mais tempo pra isso! Grato pelo comentário...Abraços

Ale (mestressan) disse...

Andorinha,

Que bom você apareceu aqui novamente e fico feliz de saber que estou sempre em seu coração e lhe afirmo que a recíproca é verdadeira! ;) - Beijos