quinta-feira, outubro 27, 2005

Eu quero meu pai...(Ale - 27/10/2005)


A poesia não brota de alguém distante de tudo, até mesmo de si. Versos simplesmente não palpitam no peito de um ser cansado! De existir? Não sei! Existência é como água, hora em um esgoto sujo e escuro de uma grande cidade; Hora na mais bela cachoeira, colorida pelo reflexo das florestas iluminadas pelo sol.

Desabafos e dores; Desesperos entre crises que me sufocam para dentro de mim mesmo. Adulto? Estranha e incômoda ilusão porque para mim, na verdade tudo não passa de um jogo da nossa mente para que, convencidos de que o somos, consigamos suportar os açoites da vida. Somos crianças obrigadas a enfrentar dores sem chorar; Chorando, que o seja, mas sem poder ridicularizar nossa “imagem” de fortaleza humana, pronunciando a velha e conhecida frase: “Eu quero o meu pai...!”, ou mãe, como preferir a nossa afinidade. Parece até uma brincadeira o que estou falando, mas como diz um amigo meu: “Na hora a brincadeira não aparece”. Talvez nem haja solução para isso, acredito até que existam formas de amenizar tantos problemas e até serei audacioso de citar algumas:

a) Conforme-se que é “adulto” e dê seu jeito;
b) Desenvolva a capacidade de colocar pra fora através da arte, seja ela escrita ou não;
c) Ridicularize-se esperneando, chorando e gritando: “Eu quero minha mãe”. ou pai, como preferir sua afinidade; d) Opções b e c simultaneamente; (A que eu estou utilizando agora).

Quando comecei a escrever tinha a intenção de fazer desse texto uma bela ferramenta de reflexão, mas pelo visto não obtive o resultado desejado...Acho que ridicularizei demais e o pior de tudo é que nem tenho como me redimir, porque como diziam os profetas “tudo está escrito!”

(Obs.: Peço de coração, aos leitores deste texto literalmente “apelativo” que imprimam e encaminhem uma cópia ao meu pai...ou mãe, qualquer um pra mim hoje serve, a afinidade que se dane!)

8 comentários:

Isis Brandão disse...

Conceda-me o direito de gritar: EU QUERO VOCÊ!!!

Luana disse...

tão...
tão forte!

Anônimo disse...

Vc não vai atualizar não???

Zen disse...

Cheguei aqui através da indicação de uma amiga querida...Ela disse que eu iria gostar. Antes ela comentou sobre a sensiblidade de suas palavras... concordo com ela.
Gosto de ler bons blogs, o seu já está adiocionado na minha lista de favoritos.
Lerei os outros textos com calma.
Até mais.

Ale (mestressan) disse...

Meu amor...Direito concedido e grito atendido! Beijos

Ale (mestressan) disse...

Lu! As vezes nossas fraquesas são símbolos de fortaleza! Beijos

Ale (mestressan) disse...

Anônimo! Atualizei...heheh

Ale (mestressan) disse...

Zen...grato pela visita e volte sempre! Abraços