terça-feira, outubro 07, 2008

Estrada (A um amigo) (Ale - 07/10/2008)


Foi quando então
Ele desapareceu entre as estrelas
Ficando aqui dentro de nós
Todas as marcas de seu trabalho

E a dor é apenas uma etapa
Do grande aprendizado

O sofrimento
É o que nos dá polidez

E a alma dos que ficam continua
Porque essa era a sua luta

Manter-se aqui
Para quando estivesse lá
Permanecesse aceso

Em todas as mentes que buscam
O fim da estrada
E o começo da glória

Foi quando então
Ele desapareceu entre as estrelas

4 comentários:

Isis Brandão disse...

Já ouvi dizer que a gente é como o Sol.. que na verdade não nasce, nem morre... apenas sai do campo de visão...
Mas quando isso acontece, nada convence as lágrimas a não chorar.

~*Raíssa Sant'Anna*~ disse...

Adorei.

Saudades tua amigo...
Grande abraço

Juliana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juliana disse...

Legal, não tinha visto...
Gosto de ler a primeira estrofe só até o terceiro verso.
Mas sou suspeita pra falar hehehe... beijos.