quinta-feira, setembro 14, 2006

Escalada (Ale - 14/09/2006)


Os muros?
Estes não existem
Mera ilusão

Saltei todos eles
Os que me foram apresentados
como empecilhos

Feridas expostas, sim
mas isso é parte do que aparenta ser,
apenas

Cada uma
Uma a uma
Nada mais do que marcas

E o que são marcas?
No fundo, são vida

Aprendizado e experiência
Contida na percepção humana

Alguns deles, dos muros,
tão altos
Distantes da minha insignificância

(Ainda há quem não acredita no amor
Pois saibam, todos
Eis que me fez maior que eu)

E mesmo mantendo minha "desimportância"
Cheguei ao topo de cada um deles

Ora...a queda
Faz-me rir
Outra ilusão marcante

A queda meus amigos
É a principal das marcas

Posto que o chão
Nada mais é
Do que um limite

E o amor, este sim
É infinito

Nada mais lindo
Nem mais tocante
Do que cair por ter amado

Os muros
As marcas
As dores e as feridas

Insignificantes
Diante do amor,
O principal motivo da vida

2 comentários:

Juliana disse...

"E a vida???
Ela é maravida ou é sofrimento
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é, meu irmão?

Há quem fale que a vida da gente é um nada no mundo,
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo,

Há quem fale que é um divino mistério profundo,
É o sopro do criador numa atitude repleta de amor.

Somos nós que fazemos a vida
Como der, ou puder, ou quiser,

Viver e não ter a vergonha de ser feliz,
Cantar, e cantar, e cantar,
A beleza de ser um eterno aprendiz.
Eu sei
Que a vida devia ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita:
É bonita, é bonita e é bonita!"


Te desejo sorte, felicidade, paz!!

Pedro Campos disse...

Bonita poesia. Sincera e profunda. O que muitas vezes nos levanta é a lição, a poesia que tiramos de cada vivência. Um abraço!