segunda-feira, setembro 18, 2006

Semente (Ale - 18/09/2006)





Levo-me apenas
Como quem se deixa levar
Por uma brisa leve

E seguindo a direção do mar
Sinto-me livre

Liberdade soprada no vento
Dos meus próprios sentimentos guardados
...aqueles da alma

Uma alma entregue à vida

Viver é descobrir
Na maré das emoções,
Sejam elas caudalosas
ou mesmo tranqüilas,

a beleza contida nas águas

que hora nascem
...gota de orvalho
e hora deságuam
...densa cachoeira

Águas que lavam
limpando sonhos

e matam a sede
de toda alma sedenta

águas que molham sementes
plantadas no chão do meu peito

para que meu coração se transforme
em flor

e espalhe por todo universo
sopradas pela brisa suave
pequenas sementes de amor

Um comentário:

Aline disse...

E já disse Clarice Lispector:
"Ser um ser permissível a si mesmo é a glória de existir".

=)