quinta-feira, março 29, 2007

Em Resposta (Ale - 29/03/2007)


Anos se passam
E a verdade me bate a porta
Talvez cedo

Absorvo de tal forma
Que os sonhos desaparecem
E a criança cresce

Como se a ordem natural
Da vida
Tivesse pressa

E a pressa me apressa
E eu me entrego
E me esqueço!

Esqueço que não vale correr
Pra se chegar
Mas eu corri
Quando devia apenas, caminhar

Andar, era um atraso
Na minha mente veloz

A minha vida era apressada
De forma crua

E hoje, eu pago o preço
Da minha história
Esta que eu mesmo construí

Tudo o que eu quis,
De coração
Foi dar o passo certo

Errar, faz parte
Quem não errou?

Meus erros
não tiveram base em maldades
nem nas irresponsabilidades

Foram apenas
alguns fracassos
em minhas escolhas

Alguém, por um acaso
Já terá na vida fracassado?

Não necessito de julgamentos
De quem na vida
Também errou

Pois só errei,
Por não saber
A velocidade certa
De cada passo

Não ouso pretender
Ser o melhor que alguém
Mas o que posso

Quero poder a cada dia
me melhorar
Com base em mim

Porque acertar
É o meu desejo
Recomeçar é o meu fim

2 comentários:

Mel disse...

É isso ai, to dia é um recomeço !!!
Amadureça com o pique de uma criança! hehe
Bjs

Alessandro disse...

pois é, Mel...hehehe...eis-me aqui, sempre criança! Bjo