terça-feira, maio 03, 2005

Carta ao Frio (Ale 02/05/05)


Ah, esse frio inquieto que percorre meu corpo manso.
Por quê não vais embora com o vento intenso de um pensamento livre?
Por quê razão insistes em me fazer companhia em um momento de solidão perfeita?
Serás um vencedor se me deixares sozinho, sem ninguém, nem mesmo você.
Tu me acompanhas porque achas que tua presença me despedaça. Engana-te!
Tu és para mim como um bálsamo que cura a ferida enraizada.
Tu destrói a célula que gera o penar de um coração cansado de amar em vão.
Vê se me deixas aqui, comigo apenas. Eu e minha dor.
Segue teu curso em direção às geleiras de outros corações que desejam arrancar o que sentem.
Deixe-me apenas! Assim, comigo mesmo, sem mim.
Tu, frio devastador, que não sabes se quer o que é amar, muito menos sabeis o que é o sofrimento do amor.
Sejas piedoso para com este coração e deixe-me assim, mais uma vez amando, talvez, não sei ao certo, mas novamente, em vão!

31 comentários:

Nia disse...

Oi Ale,
um beijo para ti.
Espero que o meu carinho aqueça o teu coração:-)

Ale (mestressan) disse...

Obrigado Nia! Já sinto-me aquecido com sua presença! Beijo

Rosa disse...

Ó Ale, quero poemas mais alegres, mais esperançosos, menos derrotistas. Pode ser? :)

yulunga disse...

Gostei da escolha da imagem.
Gosto de espaços amplos, vazios e silenciosos, onde apesar de pequena me sinto dona de todo o espaço que me rodeia.
Beijinho.
Tem um poema de presente para todos os amigos da blogosfera lá em casa. Espero que gostes

Ale (mestressan) disse...

Sim Rosa...quem sabe um dia..hehehe :o)

Ale (mestressan) disse...

Obrigado Yully!

yulunga disse...

Ale e também estou de acordo com a Rosa. Mostra-nos a tua alegria que está lá no fundinho

Ale (mestressan) disse...

Mostrarei Yully, Deus permita...hehehe - Beijo e obrigado pelo carinho! ;o)

yulunga disse...

Ale até o disfrutável foi um carinho :-)

yulunga disse...

Ok, escreve-se desfrutável, mas vocês dizem disfrutável

Ale (mestressan) disse...

Comentei sua homenagem em seu blog, viu Yully? Beijos :o)

Ale (mestressan) disse...

Yully,

Nenhum momento a substitui por Rosa, como poderás ler no blog dela e ela própria te confirma...apenas lhe agradeci o carinho e o sorriso e Portocroft ficou enciumado! És tu, apenas...hehehe :o)

yulunga disse...

Ale, que é isso?
Aqui somos todos amigos e brincar faz muito bem.
Cada um por ser diferente do outro ocupa um determinado lugar.

yulunga disse...

Ale, de facto o Portocroft anda assim sensivel.
A Rosa é danada. Dá cabo daquele coração com aquele sorriso.
Eu sou mulher e não me canso de olhar para o sorriso da Rosa, agora imagina como fica o Portocroft que é homem.
Fica viajando na batatinha :-)

Ale (mestressan) disse...

Yully, eu também estou brincando...vê: hehehehe, significa sorrisos! Beijinho - ;o)

yulunga disse...

Ale, eu sei. Ambos falamos e rimos em português

Ale (mestressan) disse...

Yully,

hehehhehe :o) mas em Português original existe o LOL, né? Aqui não...hehehe! A propósito, vais mandar uma foto pro Portocroft ou colocará em teu blog? Quero ver teu rosto! Se me permite ;o)

yulunga disse...

Ale, aqui usa-seo ah ah ah ah, o eh eh eh eh e o LOL. Eu não sou perita em net, mas julgo que o LOL é usado mundialmente. Porque cada país usa expressões próprias julgo que o LOL é usado mundialmente para que possa ser entendido independentemente da lingua em que se fala. Julgo eu. Não posso afirmar

Ale (mestressan) disse...

Aqui também tem o kkkkkkkk, mas LOL não conhecia! E a foto?

Adryka disse...

Olá Ale, tu escreves tão bem eu adoro ler-te, deixas-me enternecida com tanta sensililidade, se conhecessemos as pessoas por o que elas escreves tu terias um lugar de honra na minha pessoa, pois és maravilhoso.Beijo

Ale (mestressan) disse...

Adrika, que bom que gostas. Fico muito feliz por isso...geralmente, nesta fase da minha vida, escrevo o que sinto e quando alguém gosta muda este meu momento e fico feliz! Obrigado. Beijo (ALE)

moon_shine disse...

Oi Ale!!Mal vi o teu mail,vim ler o teu blog,não resisti!
Está lindo o poema!Tb acho que um olhar,aquele olhar pode reerguer uma alma;)Um beijo gigante só para ti!Joana

lu disse...

Ale, só vim dar um beijo, e agradecer os comentários. És sempre tão cortez e carinhoso... Mas concordo com a Rosa, tens que te alegrar! Pensar e escrever positivo!! :)

Ale (mestressan) disse...

Oi Joana,

Sua opinião é importante pra mim, obrigado de verdade! Um grande beijo pra você também e grato pelo carinho!

Ale (mestressan) disse...

Lu, estou me preparando pra isso - ;o) - Você também é carinhosa comigo e agradeço sua visita! Beijo

Anônimo disse...

Olá Ale
Os brasileiros sempre têm uma grande nostalgia pelo frio (muito frio, de neve) e nós portugueses pela grande Amazónia.
Esta imagem é lindissima. Lembra o silêncio, a magnitude e também a nossa pequenez.

Boa tarde para si

Maite

Ale (mestressan) disse...

É verdade Maite...aqui onde estou não neva, mas faz muito frio...chega a -2º...e pra mim que sou de uma cidade do Nordeste do Brasil, onde o sol é constante e o clima das praias são sempre muito quentes, nossa, é uma luta! Um beijo pra você! (ALE)

andorinha disse...

Gosto muito de te ler, Ale.
Já te disse que deves ser uma pessoa muito querida com um coração do tamanho do mundo e isso é bom!
E como diz a Yulunga também eu quero ver a alegria que existe em ti, sem dúvida.
Fica bem.
Um beijinho grande

Ale (mestressan) disse...

Andorinha,

O que seria de mim se não fosse meus amigos? Amo todos, mesmo aqueles que já me machucaram um dia e considero vocês meus novos amigos! Obrigado pelo seu carinho! Um beijo (ALE)

Maite disse...

(Ale espero que goste desta balada, de um poeta da minha terra)

Balada da Neve - Augusto Gil

Batem leve, levemente,
Como quem chama por mim,
Será chuva, será gente
Gente não é, certamente
E a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
Mas há pouco, há poucochinho,
Nem uma agulha bulia
Na quieta melancolia
Dos pinheiros do caminho...

Fico olhando esses sinais
Da pobre gente que avança,
E noto por entre os mais,
Os traços miniaturais
Duns pezitos de criança...

E descalcinhos, doridos...
A neve deixa inda vê-los,
Primeiro bem definidos,
Depois em sulcos compridos,
Porque não podia erguê-los!...

Que quem já é pecador
Sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
Porque lhes dais tanta dor?!...
Porque padecem assim?!...

E uma infinita tristeza,
Uma funda turbação
Entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
E cai no meu coração.

Ale (mestressan) disse...

É muito bonito Maite, claro que gostei. O frio nos faz compor! Um beijo - Ale