quarta-feira, junho 29, 2005

A Esperança (Ale - 28/06/05)


Noite linda vivida por mim, talvez somente aqui dentro, mas mesmo assim vivi. Não por um sentimento meu apenas, mas porque vi um brilho diferente nos olhos dela. Senti cada palavra pronunciada vibrar como antes, quando ali havia amor. No mesmo tom sentido e intenso que me penetrava o coração como um carinho de Deus. Uma energia de amor pairava no ambiente me fazendo sentir cada som, cada cheiro de flor, produzido por ela e recebido como um bálsamo de vida derramado em minha alma sentida. Por um determinado instante, o tempo parou para mim. Parei diante do universo infinito que habita minha alma e pude sentir um toque perfeito, um sorriso sincero, um abraço apertado de quem retoma o amor escondido no mais profundo lugar de um coração bonito. O coração do meu amor revivido.

A Esperança se aproximou de mim de uma forma mais pura, talvez real, talvez ilusão, não sei ao certo, mas no instante havia a verdade. Eis que aos poucos ela vem vindo aqui, para dentro de mim novamente, onde habita sua paz, a mesma que mora minha alma e meu amor infinito por ela.

Talvez até eu esteja apressado, não sei. Talvez não devesse me entregar ao que senti no momento, mas é impossível pra mim, porque funciono exatamente assim, acreditando em meu sentimento.

Naquela noite perfeita sua voz suave me disse que o seu agora é o que importa e é assim mesmo que sinto, vivendo um agora de amor. Quero que este agora seja tão eterno quanto o meu amor por ela. Um agora pra sempre, mesmo que o meu sempre um dia se acabe como diz a canção, é verdade, mas o importante é que hoje eu vivi o eterno em meu coração. Senti seu amor novamente pulsando ali dentro e vibrando em mim. Pelo menos por hoje eu fui feliz de verdade, no meu hoje de sempre, neste meu sempre amor, em minha eternidade.
Bem aventurada seja vós, meu amor sagrado, que em nossa eterna noite de amor, dia claro em nós, fez chorar de alegria um sentimento calado. Mesmo tendo sido só hoje, em meu hoje eterno, em meu sentimento feliz por viver minha realidade de agora.

Poesia da Esperança (Ale - 28/06/05)

...É que hoje minha alma sorriu!
Talvez até seja cedo ou mesmo até nem o seja.
Sem sofrimento nem medo,
Mesmo que em mim ainda esteja,
Hoje uma porta se abriu...
Talvez se quer ela veja,
Nem sei dizer se sentiu
Nem mesmo sei se deseja.

...É que hoje minha alma chorou!
Talvez até seja assim
Ou mesmo jamais tenha sido
Sem pensamento de um fim,
Sem horizonte perdido.
Hoje senti seu amor...

...É que hoje minha alma é criança!
Talvez não quisesse que fosse
Ou mesmo tenha que ser
Um sentimento que trouxe
O meu amor em você

...É que hoje renasce a esperança!

6 comentários:

Isis disse...

Então te encontro ali no meio do mar! Me espera para a gente mergulhar junto, pq dizem que em algum lugar dessa água brilha uma pérola que podemos encontrar... Um beijo!

Ale (mestressan) disse...

Combinado...a esperança é exatamente assim, paciente. Tenha mais confiança em sí que logo você chegará aqui onde estou e encontrará comigo essa pérola! Um beijo pra você (Ale)

O Micróbio disse...

E para realçar ainda mais essa esperança até lhe deste um tom a condizer... o verde! :-)

Rosa disse...

Ó Ale,
E será que nós podemos ter esperança de te ver regressar? :))
Beijinho.

Ale (mestressan) disse...

Oi Carlos...proposital essa cor! Abraços

Ale (mestressan) disse...

Rosinha dos Sorrisos...Claro que sim, logo estarei com mais tempo aqui! Beijos (ALE)